Ir para loja virtual

Equipamentos para Escritório

Tudo sobre relógio de ponto

Ir para Loja Virtual

A ERGONOMIA BUSCA ADAPTAR O AMBIENTE DE ACORDO COM NECESSIDADES, HABILIDADES E LIMITAÇÕES DO SEU CORPO, PROPORCIONANDO MAIS CONFORTO E QUALIDADE DE VIDA AO SEU DIA A DIA.

Equipamentos e móveis ergonômicos evitam problemas como dor nas costas, tendinite e bursites.
Ergonomia é a disciplina científica que trata da compreensão das interações entre os seres humanos e outros elementos de um sistema. O termo também pode ser compreendido como a profissão que aplica teorias, princípios, dados e métodos a projetos que visam otimizar o bem-estar e a performance global dos ambientes.
O objetivo da ergonomia é eliminar os fatores que prejudicam o conforto, impedindo que a pessoa realize suas atividades diárias com total produtividade. Por meio de estudos e observações realizadas a partir de métodos e técnicas científicas, a ergonomia estuda o ambiente de trabalho de forma a promover formatos e sistemas que permitam a realização de cada tarefa de maneira mais saudável.
A ergonomia procura evitar problemas de saúde como dor nas costas, tendinite, bursite e outras doenças relacionadas ao esforço repetitivo. Assim, investir em produtos ergonômicos significa conforto, segurança e qualidade de vida.
Com a ergonomia você adapta o ambiente - seja sua casa ou local de trabalho - de forma a proporcionar maior conforto às suas tarefas do dia a dia, garantindo mais qualidade de vida à sua rotina e possibilitando mais eficiência às suas atividades.

LER-DORT

LER-DORT SÃO PROBLEMAS DE SAÚDE CAUSADOS PELO ESFORÇO EXCESSIVO E REPETITIVO DAS ARTICULAÇÕES, IMPEDINDO A REALIZAÇÃO DE TAREFAS COMUNS AO DIA A DIA DAS PESSOAS.
As Lesões por Esforços Repetitivos (LER), Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), ou ainda Lesões por Trauma Cumulativo (L.T.C.), correspondem a um grupo de doenças causadas pelo uso excessivo de determinada articulação, atingindo principalmente mãos, punhos, cotovelos, ombros e joelhos.
Por tratar-se de doenças relacionas não apenas ao espaço de trabalho, mas a qualquer atividade realizada com grande esforço repetitivo – como esportes ou mesmo o uso contínuo de computadores e smartphones –, a nomenclatura mais usada para esse problema é LER-DORT.
Pessoas que realizam movimentos repetidos e contínuos estão mais sujeitas às LER-DORT, principalmente se for necessário maior esforço para realizar a atividade. Assim, entre as principais causas das LER-DORT estão
  • Esforço excessivo;
  • Movimentos repetitivos;
  • Tempo prolongado em uma mesma posição;
  • Postura incorreta;
  • Estresse;
  • Más condições de trabalho como ritmo intenso, jornada de trabalho prolongada e mobiliário inadequado;
  • Jornada dupla em função dos trabalhos domésticos.;
  • Prática de esportes que exijam grande esforço das articulações.
Alguns sintomas são mais comuns para quem sofre com doenças relacionadas às LER-DORT. Fique atento e procure um médico caso dores, formigamento, dormência, queimação, coceira e sensação de peso sejam recorrentes a ponto de impedir a prática de esportes ou execução de atividades rotineiras.
EVITAR EXCESSOS E REALIZAR EXERCÍCIOS DE FORTALECIMENTO MUSCULAR É A MELHOR FORMA DE PREVENIR DOENÇAS RELACIONADAS ÀS LER-DORT.
DOENÇAS MAIS COMUNS DECORRENTES DE ESFORÇOS REPETITIVOS

Tendinite

O que é?
Chamamos de tendinite a inflamação aguda ou crônica dos tendões, estruturas que ligam os músculos aos ossos.
Qual a causa?
Os tendões se esticam juntamente com a contração dos músculos, realizando o movimento do membro. A tendinite acontece geralmente quando o tendão é usado de forma excessiva e sem cuidado em movimentos repetitivos com tempo insuficiente de repouso.
Partes do corpo atingidas?
Como o corpo humano é composto por centenas de músculos e na ponta de cada um deles há um tendão, a tendinite pode ocorrer em qualquer articulação. Entretanto, é mais comum nos punhos, calcanhar, joelhos, ombros e cotovelos.
A quem acomete?
Qualquer pessoa que realize atividades profissionais ou de lazer que exijam movimentos repetitivos pode ter tendinite. Atletas e profissionais como telefonistas, digitadores e professores são muito expostos ao risco.
Quais os sintomas?
Os principais sintomas ligados à tendinite são: dor ao movimentar as articulações, inchaço, sensação de calor ou queimação e vermelhidão na área afetada.
Como tratar?
O tratamento indicado pode ser desde o uso de anti-inflamatórios até cirurgia, caso indicada pelo ortopedista. Além desses recursos também podem ser prescritas fisioterapia, que acelera o processo de recuperação, aplicação de bolsas de gelo e imobilização da área afetada.
Como evitar?
Para prevenir o desenvolvimento da tendinite é importante adotar hábitos que diminuam o desconforto e o esforço ao realizar as atividades. Cuidados com a postura, posição de braços e mãos, além de pausas e alternância nas atividades são essenciais para manter a saúde dos tendões. Certifique-se de que seus pulsos estão em posição confortável ao digitar, e procure alongar-se de tempos em tempos.

Tenossinovite dos Flexores Dos Dedos

O que é?
Os tendões flexores dos dedos localizam-se na palma das mãos. Esses tendões estão recobertos por uma bainha chamada sinovial, que os protege e possibilita a realização dos movimentos mais suaves. A Tenossinovite dos Flexores dos Dedos é a inflamação que acomete essa bainha e prejudica o movimento das mãos.
Qual a causa?
A Tenossinovite dos Flexores dos Dedos pode se desenvolver em decorrência de atividades que exijam movimentos repetitivos de flexão das mãos.
Partes do corpo atingidas?
A Tenossinovite dos Flexores dos Dedos ocorre na palma das mãos.
A quem acomete?
Pessoas com necessidade de executar por longos períodos movimentos repetitivos de fechar os dedos, como, por exemplo, o ato de grampear documentos.
Quais os sintomas?
Por tratar-se de uma inflamação, os principais sintomas são dores e queimação na parte interna da mão, dificultando os movimentos de fechar e abrir.
Como tratar?
A doença é tratada com o uso de anti-inflamatórios para aliviar a dor, repouso e imobilização das mãos.
Como evitar?
A melhor forma de prevenir o aparecimento da doença é evitar o uso repetitivo e das articulações, alternando atividades e usando métodos que possam diminuir impactos na região, como por exemplo o uso de coberturas acolchoadas no grampeador.

Síndrome do Túnel de Carpo

O que é?
Doença provocada pela compressão do nervo mediano, que passa por um canal estreito localizado entre a mão e o antebraço, chamado túnel de carpo.
Qual a causa?
Movimentos excessivos e repetitivos aumentam a pressão dentro do canal e provocam compressão e estreitamento do nervo mediano, podendo causar a Síndrome do Túnel do Carpo.
Partes do corpo atingidas?
A Síndrome do Túnel de Carpo atinge as mãos, mas os sintomas também podem surgir nos punhos.
A quem acomete?
A Síndrome do Túnel de Carpo é bastante comum em músicos, escritores, costureiras, pessoas que passam longos períodos digitando ou que necessitem manter a mesma posição das mãos por longos períodos. Essa doença também tem relação com alterações hormonais, podendo estar ligada a doenças da tireoide, diabetes e menopausa.
Quais os sintomas?
Os principais sintomas são formigamento e dores nas mãos, dificuldade em fazer movimento de pinça com os dedos, impedindo segurar objetos ou abotoar botões, fraqueza ou dor nos punhos e perda de sensibilidade nos dedos. Os sintomas costumam piorar ao longo do dia, em função do uso das mãos.
Como tratar?
O tratamento pode ser estendido desde repouso e imobilização das mãos e punhos, uso de anti-inflamatórios para aliviar a dor e a inflamação, injeções com medicamento na área do túnel de carpo, até tratamento cirúrgico para casos mais severos.
Como evitar?
A principal forma de prevenção é evitar esforços repetitivos. Além disso, é importante fazer intervalo entre as atividades, a fim de relaxar a musculatura das mãos e dos dedos.

Bursite

O que é?
Inflamação da bursa, uma pequena bolsa com líquido que envolve as articulações e que serve como amortecedor entre ossos, tendões e tecidos musculares.
Qual a causa?
As bursas são como bolsas cheias de líquido que tem como função auxiliar no movimento e reduzir o atrito entre ossos, tendões e músculos. Quando essa fricção é excessiva, há o acúmulo desse líquido armazenado nas bursas ocasionando a inflamação.
Partes do corpo atingidas?
As bursas estão presentes em todas as partes do corpo com articulação. A bursite ocorre principalmente nos locais do corpo com maior número de bursas, como ombros, cotovelos e joelhos.
A quem acomete?
A bursite acomete principalmente pessoas que necessitam realizar atividades em que o uso das articulações é repetitivo e excessivo, gerando acúmulo de líquido nas bursas e ocasionando a inflamação. Condições como traumatismos, artrite reumatoide e gota também podem ser fatores que desenvolvem a bursite.
Quais os sintomas?
Os principais sintomas são dor e sensibilidade ao pressionar ao redor da articulação, rigidez, inchaço, calor ou vermelhidão e restrição dos movimentos nas articulações envolvidas.
Como tratar?
A bursite pode ser tratada com anti-inflamatórios, relaxantes musculares, imobilização e repouso da área afetada e fisioterapia. Casos mais graves podem ser tratados com drenagem cirúrgica do líquido da bursa.
Como evitar?
Assim como nos casos de tendinite, para prevenir o desenvolvimento da bursite é importante adotar hábitos que diminuam o desconforto e o esforço excessivo ao realizar as atividades. Cuidados com a postura, posição de braços e mãos, além de pausas e alternância das atividades são essenciais.

Mialgia

O que é?
Também chamada de dor muscular, a mialgia corresponde à dor ocasionada pela contração e tensão dos músculos.
Qual a causa?
A mialgia pode se manifestar por diversas causas, como trauma ou choque, reumatismo, contusões, mudança de temperatura, estresse, sobrecarga muscular ou esforço físico intenso. Ao expor os músculos ao esforço excessivo ou mesmo permanecer em má postura durante longos períodos, uma sobrecarga é gerada além da capacidade do músculo e a dor é manifestada durante ou logo após as atividades.
Partes do corpo atingidas?
Os locais mais comuns são a região do pescoço, ombros, costas
e pernas.
A quem acomete?
Por estarem normalmente ligadas ao esforço excessivo e má postura, as dores musculares atingem principalmente pessoas que realizam exercícios ou trabalhos fisicamente desgastantes.
Quais os sintomas?
A dor muscular geralmente está acompanhada de fadiga e fraqueza. Em algumas situações, também são registrados formigamentos, dormência, inchaço e vermelhidão nas regiões afetadas.
Como tratar?
A mialgia pode ser tratada de várias formas, dependendo de sua gravidade. Pode ser solucionada com compressas quentes e frias para aliviar a dor, massagem nos músculos atingidos, analgésicos, anti-inflamatórios ou relaxante muscular.
Como evitar?
Alguns hábitos são as principais formas de prevenir a dor muscular: evitar posições desconfortáveis, fazer alongamentos antes e depois de praticar atividades físicas, respeitar os intervalos necessários entre um exercício e outro e, principalmente, conhecer o limite da força do seu corpo.

Epicondilite Lateral

O que é?
Conhecida também como cotovelo de tenista, a epicondilite lateral é a sensibilidade ou dor na região próxima ao cotovelo, gerada por pequenas e repetidas rupturas no tecido do tendão.
Qual a causa?
Esforço excessivo e movimentos repetitivos geram pequenas lesões no tendão. Com o tempo, essas lesões inflamam, causando dor na região onde o tendão se une ao osso, o chamado epicôndilo lateral.
Partes do corpo atingidas?
Por atingir a parte do corpo que dá origem à musculatura dos extensores do punho e dos dedos, a epicondilite lateral pode atingir o cotovelo, estendendo-se pelo antebraço.
A quem acomete?
Apesar de conhecida como cotovelo de tenista, essa doença também é comum em quem pratica esportes como basquete, squash, esgrima, entre outros. A doença também atinge profissionais como pintores, encanadores, cozinheiros, açougueiros e pessoas que utilizam durante muito tempo mouse e teclado sem manter os pulsos em posição confortável.
Quais os sintomas?
Os sintomas mais frequentes são dor ao redor do cotovelo, que com o tempo pode irradiar-se para o antebraço e mãos, sensibilidade e fraqueza ao segurar um objeto ou mesmo girar a maçaneta da porta.
Como tratar?
Na maioria dos casos o tratamento é feito com anti-inflamatórios e repouso da articulação, com ou sem imobilização. Casos mais graves são tratados com corticoides injetados no local afetado ou cirurgia.
Como evitar?
No caso de atletas, a melhor forma de evitar a epicondilite lateral é rever a técnica usada para adaptá-la aos seus movimentos e realizar alongamento e aquecimento antes de cada atividade. Para o dia a dia, é importante evitar esforços repetitivos, realizar pausas frequentes durante a atividade e garantir a melhor posição dos braços durante o trabalho para que não haja sobrecarga do cotovelo ou músculos do antebraço.

Doença de Quervain

O que é?
A Doença de Quervain corresponde à inflamação dos tendões responsáveis pelos movimentos de adução e abdução do polegar e desvio radial do punho, que se direcionam para o polegar, na base do dedo.
Qual a causa?
Esforço excessivo e movimentos repetitivos geram pequenas lesões no tendão. Com o tempo, essas lesões inflamam, causando dor na região onde o tendão se une ao osso, o chamado epicôndilo lateral.
Partes do corpo atingidas?
Essa doença atinge os tendões dos punhos e polegares.
A quem acomete?
Pessoas que necessitam realizar movimentos repetitivos durante muito tempo, como escrever, fazer atividades que exijam o uso do punho sem apoio e repetidos movimentos de flexão dos punhos e polegares.
Quais os sintomas?
O principal sintoma da Doença de Quervain é dor na região do polegar e do punho, podendo estender-se até o braço, principalmente ao realizar atividades que exijam aproximação do polegar com o dedo mínimo, como escrever ou segurar objetos com movimento de pinça. Inchaço e enrijecimento da região afetada também podem ser percebidos.
Como tratar?
A doença pode ser tratada com imobilização e repouso dos punhos e polegares, além de uso de anti-inflamatórios. Em casos mais graves pode ser recomendado o uso de injeções de corticoide e até cirurgia.
Como evitar?
Alguns hábitos podem evitar o surgimento da Doença de Quervain, como alternar o uso do polegar direito com o polegar esquerdo ao digitar a barra de espaço no teclado. Também é importante manter os punhos confortáveis e neutros, ou seja, evitar posições que exijam levantar ou baixar os punhos ao digitar. Para trabalhadores que necessitam realizar movimentos repetidos de pinça, procure usar luvas de borracha e alternar as mãos durante a realização das atividades.

DICAS DE ERGONOMIA

PARA EVITAR PROBLEMAS COMO DOR NAS COSTAS, TENDINITE, DOR MUSCULAR, E OUTRAS DOENÇAS RELACIONADAS À MÁ POSTURA, DESCONFORTO E ESFORÇOS REPETITIVOS, ALGUMAS ATITUDES PODEM SER ADOTADAS, PROPORCIONANDO MAIS SEGURANÇA E CONFORTO AO SEU DIA A DIA
  • Procure conhecer todos os ajustes possíveis dos materiais e móveis do seu ambiente de trabalho, assim você pode adaptá-los às suas necessidades e proporcionar mais conforto;
  • Dê preferência ao uso de cadeira de escritório com encosto ajustável, descanso para os braços e ajuste de altura para evitar contrações musculares e má postura;
  • Para evitar dor lombar, o encosto da cadeira deve estar em contato com a parte mais curvada de suas costas;
  • Ao sentar, suas costas devem ficar levemente para trás, em ângulo de aproximadamente 110° em relação ao chão. Essa posição evita que a coluna permaneça rígida;
  • Não use o notebook no colo. Suportes para notebook, monitor ou tablet permitem que o pescoço fique em posição reta. Para garantir conforto visual, mantenha o monitor entre 45 cm e 70 cm de distância e regule a altura até sua linha de visão;
  • Ajuste a posição do monitor de forma a evitar reflexos e, nas opções de personalização do seu monitor, regule-o a fim de evitar brilho excessivo;
  • Caso seu trabalho exija falar ao telefone enquanto realiza outras atividades, use fones. Isso evita dor muscular em função da torção do pescoço ao usar o aparelho;
  • Durante o dia, faça pausas olhando para objetos diferentes a fim de descansar seus olhos;
  • Usar apoio para pés ajuda a reduzir a pressão sobre as costas, além de evitar o agravamento de varizes;
  • Mantenha cotovelos e mãos alinhados e posicione o corpo de modo que os ombros permaneçam relaxados;
  • Ao posicionar o teclado, certifique-se de que o braço forme com o antebraço um ângulo de 90° ao digitar;
  • Quando precisar pegar objetos próximos ao chão, abaixe-se flexionando os joelhos com os pés afastados. Mantenha o objeto próximo ao corpo ao levantar;
  • Para evitar tendinite e bursite, os punhos devem estar retos durante a digitação, garantindo conforto ao evitar forçá-los para cima ou para baixo;
  • O mouse deve estar posicionado ao lado do teclado de forma a evitar que o braço fique estendido;
  • Faça pequenas pausas durante o dia e, se possível, inclua alongamentos nessa rotina. Atitudes como essas contribuem ainda mais com sua produtividade e evitam problemas relacionados às LER-DORT;
  • Alongue os braços e os dedos das mãos e faça movimentos com o pescoço e pernas. Além de exercitar, essas pequenas atitudes ajudam na circulação do sangue pelos tecidos;
  • Evite realizar atividades repetitivas que exijam força e pressão excessivas das articulações;
  • Procure alternar as atividades para evitar que o corpo permaneça muito tempo na mesma posição;
  • Caso seja necessário permanecer em pé por longos períodos, deixe um dos pés sobre um apoio, dobrando levemente o joelho para manter a coluna reta, e alterne os pés frequentemente.

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by eagle Comunicação